8 de agosto de 2011

Percy Jackson, memórias da grande missão. Cap 14

Mais um se junta á nós
(Narrado por Percy)

[Onde você pensa que está com a cabeça? Queria dar esse gravador pra um Deus?] Voltei,  o filho de Pescador  voltou a falar.
Na luta eu e Anne estávamos ombro a ombro, monstros rodeavam agente. Um sussurro veio ao encontro do meu ouvido:
 -Quando eu disser já, você sabe o que fazer. Fizemos isso no capture a bandeira.-Falou Anne, enquanto decepava a cabeça de um monstro.
 -Ok- respondi empurrando um cão infernal contra um Elegy (meio ave meio porco).
 Passamos a conter ferimentos na pele. Anne estava com a calça rasgada, e sangue escorrendo.
 -JÁ- gritou. entrelaçamos nossos braços de costas. Fiz uma barreira de água envolta de todos o monstros. Levantei Annabeth e comecei a rodar. Annabeth chutava os monstros lá na barreira, enquanto isso eu me concentrava em enfiar a espada em alguns monstros. Passaram-se uns quarenta minutos e acabamos com todos que estavam a nossa volta.
-Acabou, podemos parar-disse descendo Anne e desfazendo a barreira.-Vai ajudar Sara, eu vou procurar Heliás, não o vejo em lugar algum.
 Ao me dirigir para uma moita avistei Raquel atirando algumas flechas. Me aproximei, pensando em perguntar a Ela se vira Heliás.
-Oi, Raquel. Bem você viu Heliás?-Perguntei, vendo o resultado: a garota estava com cara de espanto, mas continuava a atacar monstros. Ajudei ela a acabar com o resto dos monstros que a rodeava , e ai me respondeu:
-Não, mas Thália apareceu e me deu isto- Falou erguendo um arco a altura do Ombro- falou que era presente de meu pai, e disse alguma coisa que Heliás estava bem, mas não por muito tempo.
-Tenho que ir, não estou com muito tempo, tenho que achar depressa Heliás.- Falei saindo da moita.
Dei alguns passos em cima de galhos e folhas secas, Até ouvir a voz de Raquel:
-Espera!-Gritou- Vou com você!
-Ok- Falei .
Estávamos indo alerta  com as armas em punho. Olhando para cada canto, enquanto lutava ao alto da montanha nem tinha percebido que anoitecera, o meu caminho era iluminado pela contracorrente. Ouvi alguma coisa, mas continuamos. De repente Ouço um barulho, e uma dor forte vem a minha cabeça e caio, ouço Raquel gritar. Olho para os lados e vejo um garoto com pelo menos 9 anos. Tinha um pedaço de madeira nas mãos.
-Ah, bem desculpe-me , eu pensei que fosse aquele minotauro.- Falou o garoto abaixando a madeira.
-Tudo bem, estou acostumado com dores. -Falei me levantando, mas minha cabeça ainda latejava.- Afinal, eu sou Percy, essa é Raquel. E qual o seu nome?
- Dante Ferrarini- Falou o garoto.
-Fale-me o que aconteceu Dante- Falou Raquel , com um olhar meio sério demais.
-O minotauro da mitologia grega me atacou, eu , eu não sabia que ele existia, vocês acreditam em mim?
-Sim acreditamos, quando eu era 2 anos mais velho que você o minotauro também me atacou.- Falei tentando deixa-lo mais animado, ele poderia achar que era diferente.
-Mas então o que eu sou?
-Um meio-sangue, meio Deus, meio mortal- Falou Raquel
-QUÊ?!- Perguntou Dante
-Venha conosco , enquanto isso eu explico.- Falei.
Em todo o tempo que andamos, expliquei de tudo, das minhas missões ao que estava acontecendo.
Parecia que Dante escutava atentadamente todas as palavras que eu falava. Parecia até Annabeth.

CONTINUA...

3 comentários: