15 de dezembro de 2011

Lupo (Texto concurso Futuros escritores)

Lupo me Puxava, correndo a um monte de lixo. Situava-se ao lado de nossa casa, Lupo farejou algo, que não queria deixar passar. De repente retirou um saco de cima de uma caixa com o focinho. De dentro da caixa vinha um barulho. Por curiosidade, abri ela. Dentro dela encontrava-se um gravador. Peguei, e levei para casa.
Eu morava sozinha, minha mãe tinha morrido a 6 anos e meu pai desaparecido quando eu tinha 2 anos.Não tinha mais parentes vivos. Minha única companhia era Lupo, meu Akita. Ganhei ele de minha mãe 1 ano antes dela morrer em um acidente de carro. Foi mais ou menos assim quando eu ganhei Lupo:
" -Filha, Tem uns presentes aqui embaixo da árvore de natal, e eu acho que é pra você!- Gritou minha mãe, da sala. Sai correndo do quarto, como uma criança desesperada por seus presentes de natal. Nessa época eu só tinha 12 anos. Olhei para a árvore que decorei junto com minha mãe, cheia de bolinhas decoradinhas com Glitter e anjinhos com aureolas, logo embaixo dela, encontravam-se 5 presentes embrulhados em papeis coloridos com Laços vermelhos por cima. Estavam com etiquetas endereçadas a Diana (eu). Abri todos, ganhei: Um vestido, Um conjunto escolar, 2 Bichinhos de pelúcia e uma agendinha fofinha.  Fui ao meu quarto guardar o que ganhei e pegar o presente que tinha comprado a minha mãe.
Desci as escadas, e lá estava minha mãe com uma caixa cheia de furinhos se mexendo. Um sorriso se estampara no rosto de minha mãe ao me ver.
-E Filha este é o meu presente- disse me entregando a caixa. Abri e levei o maior susto, um cachorrinho de raça Akita pulou no meu colo e começou a me lamber. Era meio branco e meio cinza, era lindo!
-Obrigada mãe - Pulei do chão e abracei ela - Você é a melhor mãe do mundo! Ah e quase me esqueci, seu presente- e entreguei a ela. E o cachorrinho, dei o nome de Lupo a ele."
E foi assim que eu ganhei lupo , meu cachorrinho. Voltando ao gravador que Lupo encontrou, chegamos em casa, sentei no sofá. e começamos a ouvir a gravação.

'Diana? Diana? Bem eu não sei por onde começar. Primeiro, aqui é seu pai. Aquele que desapareceu quando você tinha 2 anos. Não fique nervosa se eu não estive ai com você. Mas é o seguinte, estive fora todo esse tempo por me perder no tempo, não saber onde estava e o porque de fugir de nossa casa: eu não sei. Agora que você encontrou essa gravação, não posso deixar de estar feliz. Voltarei para casa quando puder,  Papai.'

Quando terminei de ouvir,  uma lágrima escorreu em meu rosto. Estava muito feliz por meu pai ter me encontrado e dele estar vivo.
-Lupo, você ouviu? Ele está Vivo!- Comemorei fazendo carinho atrás da orelha de Lupo- E graças a você!
-AU, AU AU- Latiu alto Lupo para alguém que estava atrás de mim. Me virei e lá esteva, a mesma pessoa que eu vi quando eu tinha 2 anos. Meu Pai! E dei um abraço apertado nele.
E foi assim. A história se acabou. E Lupo, Ficou mais feliz ainda com a companhia de meu Pai.

Esse foi o texto do concurso minhas leituras!
Bjões
Sarinha

2 comentários:

  1. Novo blog no ar .. visita e segue ?
    http://blog-sundaedecereja.blogspot.com/

    Kiss de Cereja, Katty & Betty :*

    ResponderExcluir
  2. Texto ótimo *.*
    Segue? www.unetelle.blogspot.com

    ResponderExcluir