17 de fevereiro de 2016

Projeto "VAI DIRETO!" (História)

Começando bem, ou não, vamos ao primeiro assunto a se discutir, que eu escolhi com a ajuda de uma amiga: Revolução Francesa. Vou deixar bem claro antes de você ler esse resumo nada profissonal: Eu não sei muito, apenas estou estudando baseada no meu livro didático, resumos do caderno, aulas com o professor Luís e videoaulas do Descomplica. 



1ª Parte: França antes da revolução.

   Para que se possa estudar a Revolução Francesa, é necessário entender os motivos e acontecimentos que levaram à tal, como por exemplo, já adentrando no assunto, a forma que a sociedade estava dividida. O sistema empregado era estamental, como assim, produção? Havia uma pirâmide social, separada em estados, não podendo haver transferência entre eles, havendo uma diferença social considerável. (desconsiderando exceções, como a nobreza togada comprada). Os três estados eram: Clero, Nobreza e Camponeses/Burguesia/Sans-Cullottes, essa era a ordem respectiva de influência e poder durante todo o Antigo Regime.
   Podemos também observar a época em que se passava: segunda metade do século 18, onde a burguesia já era um grupo com riquezas acumuladas, mas não tinha poder de influência dentro da sociedade estamental. Pense só: se você acumulou uma grande riqueza, fez uma empresa, algo do tipo, mas tem alguém acima de você na escala social que não paga impostos, como se sentiria? E se te dissessem que você é como um camponês, afinal, está na mesma hierarquia que ele? Era exatamente com isso que a burguesia estava descontente, o poder da nobreza perante os demais, como os privilégios fiscais (não pagar imposto). A reivindicação da burguesia era que eles fossem destacados, havendo uma diminuição no poder do segundo estado. Eles não pediam o fim dos estados, mas sim privilégios para a burguesia. 
  Nessa época, o Estado Monárquico também estava passando por uma grave crise financeira, provinda dos gastos militares na Guerra dos Sete anos e a Guerra de Independência das 13 colônias, e imagina quem paga o pato? Isso mesmo, o terceiro estado. Esse foi outro fator que antecedeu o processo revolucionário.
  Em 1781, o rei Luís XVI tentou uma reforma, com o apoio dos economistas fisiocratas, para acabar com a crise financeira, propondo o fim dos privilégios fiscais do segundo estado. Em contraparte, a Assembléia dos Notáveis (1º e 2º estado) se reuniu em 1787 contra essa proposta, uma chamada revolta aristocrática. A crise não se resolveu, em nenhum dos casos.
 Meados de 1789, foi convocada a Assembléia dos Estados Gerais (Clero, Nobreza e Burguesia e eu me pergunto onde os camponeses foram parar), que não era chamada desde 1614, mais de 100 anos. A tradição era votação por estado, como assim? Não haviam três? Então, deveria haver três votos no final para decidir sobre algo. Isso foi questionado pelo Terceiro estado, que propôs o voto individual por deputados (foi apoiado por dissidentes do 1º e 2º estado), mas foi rejeitado pelo rei. Isso gerou a formação da Assembléia Nacional Constituinte, através do Juramento da Péla (ou Juramento do Jogo da Péla, por ter sido firmada e acordada em uma sala do tal jogo) e seria apoiada pelos mesmos que eram à favor do voto individual. 

   A Assembléia se reuniu um mês após o Juramento, juntando uma nova Guarda Nacional, e seguiram para a tomada da Bastilha, posteriormente conhecida como Queda da Bastilha. 
  O que foi a Queda da Bastilha? Foi uma invasão de uma "prisão" de intelectuais, denominada Bastilha, que tanto serviu para os revolucionários se armarem, quanto para questionar um dos símbolos do absolutismo; a fortaleza. Esse foi o estopim para a Revolução Francesa.

(continua)
...

Pretendo falar sobre o próximo bloco mais para frente, de como se organizou o sistema de governo dos revolucionários e depois como Napoleão chegou ao poder e seu governo de conquistas.. Para mim, o resumo ficou bem esclarecedor, porque afinal, quem precisa entender sou eu, mas adoraria saber se fui sucinta, ou se errei em algum fato histórico citado. Como eu disse, sou apenas uma estudante. 
  Farei resumos deste estilo tanto de Geografia, Literatura, Gramática, Sociologia, Filosofia... As matérias de humanas, em geral. Acho que da para estudar só de escrever, imagina reler algo que eu mesma escrevi?
  Bom! Até a próxima postagem. Beijos, Sara. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário